Luz

Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30
31

A minha Tulu

Presente da Luz

Estou confusa - Assunto T...

AAAHHHHHHHHHHHHH

Exposição solar

Qual será o "Sindrome"?

Boneca da Luz

Estaremos, só por acaso, ...

7 da manhã, olho aberto

Que silêncio

Palavras para quê...

Haja justiça

Passado da Luz

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Setembro 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Boneca da Luz

Meez 3D avatar avatars games

Awards e Prémios

Da Sonjita, do Bento, da Rosa Xhoque, da Ângela, do Dark, da Andie. ADORO-VOS!

Prémio Rosa Xhoque

Da Ângela, Sonjita, Andie, Miss Crash, do Pandora, da Miss T, do Zizi Bento.

Quinta-feira, 20 de Março de 2008

Professora tira telemóvel a aluna...

A cena foi filmada com um outro telemóvel de um outro aluno.

Uma cena triste. Triste porque a aluna descontrola-se, berra, esperneia e acaba por conseguir tirar o telemóvel à professora.

 

Mas atenção, a cena é triste, mas só a acho triste porque sou incapaz de me comportar assim, porque o meu telemóvel a professora também não tirava. Se eu o usasse durante a aula, o que não é permitido, admitia que me mandasse para a rua, que fizesse queixa... o que quisesse, mas não mo tirava de certeza!

 

Se formos ver bem as coisas nada mudou, pelo menos nos professores.

 

Ora vejamos... Já acabei o secundário há cerca de 12 anos e há uns 14 um professor tirou um walkman a um colega meu porque esta a usá-lo na aula. Aquilo tem phones , não estava a incomodar ninguém, mas não é suposto ser usado nas aulas. Ora o professor não o devolveu no fim da aula, o que provocou a indignação de todos nós. Os pais fora à escola e o professor teve a lata de dizer que devolvia no fim do ano, e os pais não foram de modas, apresentaram queixa por furto na esquadra mais próxima. Foi bem feito não foi? Acho que foi mas eu não faria assim, nem saía da escola, chamava a polícia à escola e o professor não saia de lá sem devolver ao meu filho o que fosse dele. E a seguir fazia queixa ao Ministério.

 

Podemos então concluir que a única coisa que mudou em 14 anos... São os gritos dos alunos!!!

 

Sabem os que vos digo? Quando o meu filho for para o 2º Ciclo vou ter muito que me chatear... No 1º Ciclo as coisas ainda são diferentes. Embora os miúdos já tenham telemóvel, a professora é só uma e resolve as coisas com outra serenidade. Depois parece que perdem a língua e resolvem as coisas a tirar as coisas aos alunos.

 

Antigamente tinham falta de walkmans lá em casa, agora evoluíram , é de telemóveis!

Por Luz às 20:03
Link do post | Comentar
|
11 comentários:
De Ângela Raquel a 20 de Março de 2008 às 22:12
Olá Luz.
Eu também vi esta reportagem, mas achei lastimavel a atitude tanto da professora como da aluna, pareciam duas crianças a briga por brinquedo. Eu não concordo com o uso do telemovel na sala de aula, mas também não concordo com a atitude da professora de tentar tirar o telemovel à aluna.
Vou fazer o desafio do nome.
Jocas.
De sonjita a 20 de Março de 2008 às 22:51
Acho triste e degradante o que vi hoje na TV... é uma falta de respeito e falta de educação. Concordo que se o aluno estava a usar o telemovel na aula que a professora lho tire até a aula terminar... acho que as regras têm que ser impostas. Os professores às vezes podem ter atitudes exageradas mas acho que muitas vezes os alunos também os levam a isso.
BJokas
De Luz a 21 de Março de 2008 às 08:25
É como digo no post, admito tudo, menos tirar o telemóvel. Não posso concordar que um professor tire o telemóvel seja a quem for. Há muitas formas de resolver a questão, tirar o telemóvel é a única que não admito! Não admitiria se fosse comigo, não admito se for com o meu filho!

Beijo
De antonio a 22 de Março de 2008 às 10:08
A "psicologuice" perfeitamente selvagem absorvida em revistecas gera uma maneira de estar dos pais que em nada conduz à boa educação dos "meninos". Estes tudo vão podendo porque os papás deixam, comentam cenas tristes de alunos como estes do video como se os alunos tivessem razão, são capazes de dizer de um professor "O que é que ele é mais do que eu ou do que tu?", etc, etc. Nós sabemos. Infelizmente os meninos depois também exigem o que querem dos pais, chantageiam-nos e, sim sim, até lhes batem também. Resultados óbvios neste país em que grande parte do povo, se não é analfabeto, sofre alegramente de iliteracia, passeia o dinheiro. não por ambientes de cultura, mas por centros comerciais ou supermercados, compra exclusivamente para mostrar poder e não para saber, para alimentar o espírito. Mas arrogantemente, quanto mais ignorante, mais o povo português ultrapassa o ditado " De médico e de louco todos temos um pouco" pois agora também todos temos muito de professor e de advogado e de juiz e ...
Por isso não se tiram telemóveis certamente topo de gama aos alunos, possivelmente para os entregar no Conselho Executivo ou ao Director de Turma, e assim obrigar o aluno a dirigir-se a instâncias superiores da Escola e ouvir uma admoestação e conselhos sensatos| Não senhor, porque os "meninos" são umas flores de estufa e isso pode traumatizá-los muito.
Se os pais não os educam em casa e são propensos a admitir-lhes cenas destas, deixem ao menos que a escola os eduque. Ou pelo menos lhes dê um certo verniz que permita aos "meninos" estar aparentemente bem comportados nas aulas. É que os professores estão no seu local de trabalho e certamente os pais também não gostam nem permitem ser agredidos no seu local de trabalho. Assim vai Portugal no seu melhor!!!!
De Renato Miguel Araújo a 21 de Março de 2008 às 08:19
Bom dia Luz!

Acabei agora de ver a reportagem. Acho que temos aqui uma faca de dois gumes contudo, pondo-me do lado de cada um dos intervenientes, à vez, possivelmente faria o que fez a professora, já não sei se faria o que fez a aluna, e depois, lá está, temos sempre razão até a perder.
Sendo eu o professor, rigoroso como sou, à primeira mandava desligar o telemóvel, à segunda pedia-lho e se não mo desse levava falta. E havia de levar tantas faltas até que chumbasse à minha disciplina.
Acho sim que o professor deve pedir os telemóveis se os paizinhos não ensinam aos meninos que o telemóvel é para estar desligado nas aulas. E olha que os há que não ensinam, e até se dão ao luxo de ligar às crias em horas de aulas (já me aconteceu e fiz questão de atender eu a chamada).
E sim, incomoda estar a falar, a explicar alguma coisa e ter alguém a abanar a cabeça porque está com os phones ou está a olhar para as pernas a escrever sms.
Nisto tudo, achei perfeitamente desnecessário o "corpo a corpo" a que se deu a professora. Uma vez mais, tem-se sempre razão até a perder.
Uma coisa é certa, se fosse eu o aluno e a minha mãe me visse a fazer uma figura daquelas, levava uma sova onde fosse e à frente de quem fosse (mesmo com o caparro que tenho hoje)!lol

Beijos
De Luz a 21 de Março de 2008 às 08:42
Pois, aí somos diferentes! Um aluno não me irrita por estar com phones na aula. Se não quer aprender o problema é dele desde que não incomode os outros. A questão de marcar falta concordo, como mandar sair da aula, etc, a única com a qual não concordo é tirar seja o que for.
Há outra coisa que pesa na minha forma de pensar, é o facto de não saber com que tipo de pais estou a lidar, podem ser uns "inofensivos" e eu posso esticar a corda, mas podem ser uns que como os meus fizeram com que uma professora deixasse de o ser porque se atreveu a bater-me com o livro de ponto porque tinha uma conta errada. Se eu andasse à luta com uma professora na sala, era certo e sabido que me castigavam para aí durante um ano, mas também era certo e sabido que eles iriam achar que aquela criatura não tinha condições para ser professora por não saber o que é impor respeito aos alunos.
E repara que não foi por os meus pais não admitirem que me tocassem (até porque eles nunca o fizeram, já os meus avós nunca bateram nos meus pais) que eu não fui boa aluna e uma pessoa educada, uma coisa não influencia a outra.
Eu também não confiro a um professor o direito de fazer ao meu filho o que eu não faço.

Também achei triste (tal como disse no post) a luta entre as duas, e foi isso que me pôs a rir à frente da televisão, porque como podem estes professores ter moral, exigir seja o que for quando fazem estas figuras?
Nenhum professor que se preze, e tu sabes, faz estas figuras!!

Beijinhos
De Anónimo a 22 de Março de 2008 às 11:27
Ah! A Luz tem medo de certos pais! E, no fundo, tem um discurso (e, claro, um pensamento) cheio de ambiguidades. É quase silogístico perceber que, se tem medo de certos pais e compara as reacções que podem ter com a que tiveram os seus pais, então a achou exagerada... Compara também a sua atitude de então com certas atitudes incorrectas de alunos do presente. Mas agora é professora (será?) e tem que manter o pãozinho para a boca... Será? Pois tem alguma razão: no ambiente em que se vive (eu diria sociopolítico), muitos professores têm vindo a abdicar do seu papel de educadores, por exemplo achando que os alunos, "desde que não incomodem", podem estar completamente distraídos nas aulas, phones nas orelhas ou telemóveis em acção... mas sem som! Pactuam assim estes professores com a indisciplina e com a ignorância crassa que vai grassando também entre os jovens!
Ora, Luz, por que não abre uma lojinha, por exemplo de sopas rápidas e croquetes? Aí ganhará a sua vida e terá a mão férrea da Asae para a meter na ordem. Já que agora, se calhar, lhe é permitida a desordem.
De Maria do Rosário a 22 de Março de 2008 às 12:01
"Setora" Luz, já percebemos que é muito moderna e que foi plenamente atingida pelo choque tecnológico. Vivam essas aulas cheias de telemóveis e de phones a trabalhar! É a economia nacional que ganha com esses consumos! (Já pensou implementar um projecto, com o respectivo estudo económico, para assim salvar a economia nacional ??). Isto é tudo ironia, processo estilístico que chego mesmo a duvidar que conheça, (As virgulazitas também são um problema, não são?).
Mas vamos ao que interessa. Os jovens são jovens e cabe-lhes, sem serem malcriados, tentarem fazer o que lhes apetece. Como agora se diz: Certo? Pois certo. Cabe aos adultos obrigá-los a estar atentos, a aprender. E isso a setora" não lhe apetece fazer, com prejuízo desses alunos - que, no futuro, não irão agradecer-lhe- e dos outros professores da turma que queiram ser !normais", pois agora os alunos estarão interessados em "curtir" a sua displicência. Para não utilizar outro termo mais agressivo e a setora pensar que lhe estou a dar com um computador na cabeça (já náo há livros de ponto, os sumários informatizam-se.) Os seus colegas, os tais professores "normais" serão por ora considerados pelos discentes e pelos pais que eles conseguirem convencer "muitos maus", terão mesmo "uma péssima relação pedagógica". A "setora" Luz é que os compreende.
Ora abóbora! (Aproveite-a para as sopas que o António lhe recomendou.)
De Ana a 22 de Março de 2008 às 12:33
Quando eu era pequena, apareceram os yogurtes e eram óptimos, em copo de vidro, uma delícia. Um tio levava-nos, aos meus primos, ao meu irmão e a mim (será que esta ordem das expressões em que eu, por delicadeza, fica para o fim já é considerada desuète e ridícula pela setora Luz?), a lanchar e nós escolhíamos, além de sandes e bolos... yogurtes.
Pois bem, um dos meus primos era asmático e, quando o empregado vinha dizia com a voz sumida do Euzebiozinho de "Os Maias": "O meu é morno... "
Eu chegava acasa e comentava com a minha mãe: "O X é parvo!" A minha mãe, além da raspaneta pelo uso do "parvo", perguntava porquê, ao que eu respondia: "Pede yogurtes mornos." Ela lá me explicava que ele era asmático e que...bla bla bla. Lembro-me da minha resposta: "Está bem. Mas ele tem que pedir gelado, o tio é que tem que dizer que é morno!"
Esta história anedótica mas verdadeira, ingénua pois eu andaria pelos seis anos, mostra, à distância do tempo, dois pontos: 1- eu sabia muito bem que os miúdos gostam de transgredir 2- mas que cabe aos adultos emendá-los, "obrigá-los" ao que for preciso para a sua saúde física e mental. (E fixe-se que não tenho complexos liriquisto-democráticos por usar a palavra obrigar!).
Cito ainda a minha mãe que, quando eu me rebelava, dizia calma e ironicamente: " Pois é esse o teu desejo, mas os meninos não nascem das couves."
Por aqui me fico. Aprenda isso, setora Luz.
De Anónimo a 22 de Março de 2008 às 11:02
Pois é, meu caro Renato, mas com certeza sabe que, muitas vezes, as instâncias superiores das Escolas são permissivas ("os meninos, coitadinhos, têm muitas carências afectivas, vivem abandonados na rua, os encarregados de educação não têm tempo, ou também não têm regras ou não sabem impô-las, etc, etc, etc"). Resumindo, essas instâncias acobardam-se perante muitos pais que se estão literalmente nas tintas e o que querem é "notas altas" para os "moranguinhos" entrarem na universidade e, se conseguirem, daqui a alguns anos irem engrossar as fileiras dos futuros doutores formados... em má educação! Porque não tenhamos ilusões, as faculdades já se queixam do comportamento de alguns alunos dentro das salas de aulas (e, graças a Deus, os pais desses alunos ainda não me parece que sejam ouvidos na universidade, se não, era o caos!) A quem tiver dúvidas sobre a verdade das minhas palavras, aconselho apenas que as confira com a pedra de toque das torturas aos caloiros, das bebedeiras, das pimbices das "festas" de universitários. Só isso chega para avaliar a situação.
E se falarmos da "primária", já aí se salientam as "gracinhas"dos rebentos, certamente, se não com o aplauso, com a complacência dos papás ("eles são tão queridos, ficam tão bem vestidos de beneton...") Se refiro os meninos bem vestidos é só para se perceber que também estes e não só "os pobrezinhos", os que têm mesmo o azar de viver vidas difíceis que se portam maç. Esses, pelo contrário, sabem muitas vezes ser educadíssimos.
Para finalizar, resta apenas que fique bem claro que há excepções, no âmbito de todos os ciclos escolares, tanto no que se refere a alunos como a pais. É por esses que ainda há professores. E são esses que devem cerrar fileiras para que Portugal não esteja votado a um triste futuro.
De joseph a 21 de Março de 2008 às 20:24
LUZ
Olá

Só um pequeno pormenor, porque já foi tudo dito.
Em minha opinião, a professora deveria dirigir-se à aluna, saber se ela estava a utilizá-lo, e, em caso positivo, pedir-lhe o telemóvel prometendo que lho entregaria no fim da aula, e avisando-a que iria participar o caso superiormente.

Resto de uma noite SANTA.

A saúde já está bem?

Jinhos amendoados;)**

Comentar post

Horas de Luz

online My Great Web page http://www.facebook.com/BENCAOmtc

Etiquetas

abandono crianças(2)

acupunctura(1)

animais(2)

aniversário; afectos(1)

aniversário; filho(1)

anorexia(1)

bencao(1)

boneca(1)

crenças(1)

desabafos(1)

dimensões(1)

esmeralda(4)

espanha(1)

férias(1)

fernando pessoa(2)

filho(7)

filhos; silêncio(1)

filmes(2)

fitoterapia(1)

fotofobia(1)

hipocrisia(1)

índigo(1)

ivg(2)

livros(2)

mário quintana(1)

natal(2)

poemas(1)

recordações(1)

regresso(1)

revolta(5)

ridículo(2)

saúde(3)

sensibilização(2)

séries(1)

tourada(1)

triste(1)

vida(5)

todas as tags

Award Oferecido

pelo Joseph

Visitantes

Locations of visitors to this page

subscrever feeds