Luz

Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30
31

Presente da Luz

Estou confusa - Assunto T...

AAAHHHHHHHHHHHHH

Exposição solar

Qual será o "Sindrome"?

Boneca da Luz

Estaremos, só por acaso, ...

7 da manhã, olho aberto

Que silêncio

Palavras para quê...

Haja justiça

Passado da Luz

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Setembro 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Terça-feira, 13 de Novembro de 2007

O que acham?

Tem sido muito falado o projecto da Artemis na ajuda a mães que perderam os seus filhos durante ou no final da gravidez ou dias depois de terem nascido. Cada um tem a sua forma de ultrapassar as situações e de lidar com a dor, respeito todas as mulheres que precisam deste tipo de ajuda, embora não seja  ajuda que escolheria ou que escolhi (isso agora não importa para o caso), mas respeito sem dúvida.

 

Passando esta introdução, pergunto o que acham porque há um testemunho que me fez muita confusão. Uma mãe fez um IMG (Interrupção Médica da Gravidez) devido a má formações graves no feto que nunca permitiriam que ao nascer, caso nascesse, julgo que havia essa dúvida, ter uma vida dito normal pois tinha deficiência profunda, arrisco dizer que não passaria de um vegetal.

Este tipo de interrupção é com a devida autorização dos pais, está claro, e pode não ser feita caso os mesmos não concordem. neste caso foi feitas às 20 semanas de gestação.

 

Esta mãe (já com 2 filhos) diz até hoje que tem 3.

Ontem em conversa sobre o tema com 2 pessoas, um profissional de saúde e outro médico, Pediatra por acaso, ambos me diziam com o devido respeito pela Sra. que esta atitude era exagerada , chegando mesmo a dizer um deles que achava necessária ajuda Psiquiátrica .

 

Ora a minha questão é:

Será este sofrimento desmedido?

Exagerado?

Estarão eles devido à profissão a olhar para o feto como feto e não como ser vivo, filho de alguém?

 

Saliento que ambos são pais...

 

O que acham?

 

Não manifestei a minha opinião sobre o assunto mas ainda assim acho que disse tudo. Sou mãe e já passei por uma situação... talvez idêntica... ainda assim apenas digo ter um filho... acho que isto diz tudo...Ou estarei eu também a ser influenciada pelo que aprendi em Enfermagem, manifestando assim o distanciamento normal que esta aprendizagem acarreta ?

 

 

Por Luz às 11:24
Link do post
De NaRiZiNHo a 16 de Novembro de 2007 às 14:17
Olá Luz e restantes leitores,
Eu compreendo a vossa opinião e respeito-a. Só vos queria alertar para o facto de que muitas vezes temos que adequar o nosso discurso ao público em questão, nem sempre a pessoa que nos está ouvir se encontra assertiva para determinados termos, palavras, entendes? Era isso que eu queria dizer.
Quanto à tua questão, talvez vocês sejam obrigados a isso, não vos condeno, provavelmente faria o mesmo, a vossa profissão assim vos exige e provavelmente para a vossa sanidade mental, sejam obrigados a esse distanciamento. Mas é muito importante que vocês não se esqueçam que do outro lado está um ser humano que acabou de perder aquilo que mais queria, que provavelmente lutou tanto para depois lhe ser tirado dessa forma, entendes?
Eu sei que há casos e casos, como em tudo na vida, há exageros. Compete-nos a nós, enquanto ser humanos racionais e com sentimentos, tentar arranjar um meio termo e não por x responder de forma cruel "esta a chroar porquê? é so um aborto, para a proxima consegue!" que se chega a bom porto.
Há palavras e palvras, há momentos para tudo e temos que ter noção quando devemos utilizar ou nao determinados termos com determinadas palavras.
:-*

p.s.: obrigada pela consideração e és sempre bem vinda ao meu blog, só espero não cair no exagero de o tornar um babyblog, não foi com esse objectivo que o criei.
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Etiquetas

abandono crianças(2)

acupunctura(1)

animais(2)

aniversário; afectos(1)

aniversário; filho(1)

anorexia(1)

bencao(1)

boneca(1)

crenças(1)

desabafos(1)

dimensões(1)

esmeralda(4)

espanha(1)

férias(1)

fernando pessoa(2)

filho(7)

filhos; silêncio(1)

filmes(2)

fitoterapia(1)

fotofobia(1)

hipocrisia(1)

índigo(1)

ivg(2)

livros(2)

mário quintana(1)

natal(2)

poemas(1)

recordações(1)

regresso(1)

revolta(5)

ridículo(2)

saúde(3)

sensibilização(2)

séries(1)

tourada(1)

triste(1)

vida(5)

todas as tags

subscrever feeds