Luz

Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30
31

Presente da Luz

Estou confusa - Assunto T...

AAAHHHHHHHHHHHHH

Exposição solar

Qual será o "Sindrome"?

Boneca da Luz

Estaremos, só por acaso, ...

7 da manhã, olho aberto

Que silêncio

Palavras para quê...

Haja justiça

Passado da Luz

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Setembro 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Terça-feira, 13 de Novembro de 2007

O que acham?

Tem sido muito falado o projecto da Artemis na ajuda a mães que perderam os seus filhos durante ou no final da gravidez ou dias depois de terem nascido. Cada um tem a sua forma de ultrapassar as situações e de lidar com a dor, respeito todas as mulheres que precisam deste tipo de ajuda, embora não seja  ajuda que escolheria ou que escolhi (isso agora não importa para o caso), mas respeito sem dúvida.

 

Passando esta introdução, pergunto o que acham porque há um testemunho que me fez muita confusão. Uma mãe fez um IMG (Interrupção Médica da Gravidez) devido a má formações graves no feto que nunca permitiriam que ao nascer, caso nascesse, julgo que havia essa dúvida, ter uma vida dito normal pois tinha deficiência profunda, arrisco dizer que não passaria de um vegetal.

Este tipo de interrupção é com a devida autorização dos pais, está claro, e pode não ser feita caso os mesmos não concordem. neste caso foi feitas às 20 semanas de gestação.

 

Esta mãe (já com 2 filhos) diz até hoje que tem 3.

Ontem em conversa sobre o tema com 2 pessoas, um profissional de saúde e outro médico, Pediatra por acaso, ambos me diziam com o devido respeito pela Sra. que esta atitude era exagerada , chegando mesmo a dizer um deles que achava necessária ajuda Psiquiátrica .

 

Ora a minha questão é:

Será este sofrimento desmedido?

Exagerado?

Estarão eles devido à profissão a olhar para o feto como feto e não como ser vivo, filho de alguém?

 

Saliento que ambos são pais...

 

O que acham?

 

Não manifestei a minha opinião sobre o assunto mas ainda assim acho que disse tudo. Sou mãe e já passei por uma situação... talvez idêntica... ainda assim apenas digo ter um filho... acho que isto diz tudo...Ou estarei eu também a ser influenciada pelo que aprendi em Enfermagem, manifestando assim o distanciamento normal que esta aprendizagem acarreta ?

 

 

Por Luz às 11:24
Link do post | Comentar
16 comentários:
De Luz a 17 de Novembro de 2007 às 16:20
Olá Bento!
Bons olhos te vejam!

Falaste de uma coisa importantíssima, muita gente acha que Psiquiatria é só para quem está louco e não tem mesmo nada a haver. Por outro lado, e tendo em conta que foi um médico a dizê-lo, parece-me normal, na medida em que um Psiquiatra é no ponto vista deles alguém muito mais próximo que um Psicologo, devido à formção inerente. Para muitos Psicologo é quase como se não existisse.

Bjs

Luz
De NaRiZiNHo a 19 de Novembro de 2007 às 12:49
Cá estou eu novamente :))))
Obrigada pelas tuas palavras Luz.
Em relação ao que o Bento disse, é um facto, aliás eu não tenho qualquer problema em dizer aqui que tive acompanhamento por parte de uma psicóloga que me ajudou a ultrapassar as perdas, assim como tive terapia de casal, uma vez que o meu marido não falava sobre os abortos e não se abria com ninguém.
Foi graças a essas terapias que hoje consigo estar mais serena e não tanto ansiosa.
:-*
De paulo ferreira a 26 de Novembro de 2007 às 18:15
Desculpem, devo ter entrado num ambiente de trabalho de um colega de curso, o ultimo comentário da Visão, não era dele mas sim Paulo Ferreira
De Luz a 26 de Novembro de 2007 às 18:24
Estou toda baralhada Paulo. Estás a falar de quê?

Comentar post

Etiquetas

abandono crianças(2)

acupunctura(1)

animais(2)

aniversário; afectos(1)

aniversário; filho(1)

anorexia(1)

bencao(1)

boneca(1)

crenças(1)

desabafos(1)

dimensões(1)

esmeralda(4)

espanha(1)

férias(1)

fernando pessoa(2)

filho(7)

filhos; silêncio(1)

filmes(2)

fitoterapia(1)

fotofobia(1)

hipocrisia(1)

índigo(1)

ivg(2)

livros(2)

mário quintana(1)

natal(2)

poemas(1)

recordações(1)

regresso(1)

revolta(5)

ridículo(2)

saúde(3)

sensibilização(2)

séries(1)

tourada(1)

triste(1)

vida(5)

todas as tags

subscrever feeds