Luz

Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30
31

Presente da Luz

Estou confusa - Assunto T...

AAAHHHHHHHHHHHHH

Exposição solar

Qual será o "Sindrome"?

Boneca da Luz

Estaremos, só por acaso, ...

7 da manhã, olho aberto

Que silêncio

Palavras para quê...

Haja justiça

Passado da Luz

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Setembro 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Domingo, 17 de Fevereiro de 2008

Abortar não mas matar sim!

A reportagem "Perdidos e Achados" que dá todos os Sábados na SIC, recordou ontem a grávida de 6 gémeos residente no Funchal, que tive os bebés em Lisboa, na Maternidade Alfredo da Costa.

 

Por ser previsível que devido a diversos factores os 6 bebés seriam pouco viáveis, ou seja, muito dificilmente sobreviviam, foi proposto a esta grávida que se fizesse a chamada interrupção selectiva que consiste em abortar apenas alguns, para que sobrevivessem os restantes. Segundo a análise médica, neste caso 3 seriam viáveis, o máximo 4, o que contas feitas estaríamos a falar de uma interrupção de 2 ou 3.

 

A mãe recusou, pelo que ela disse por ser contra o aborto.

 

Os bebés nasceram com certa de meio kg cada um, 3 morreram no dia seguinte, 2 mais tarde e o último, o que tinha mais peso morreu 12 dias depois.

 

Moral da história, esta mãe por ser contra o aborto, por achar que ia matar 2 ou 3 filhos, acabou por matar 6!

 

Já me tentaram dar lições de moral por eu ser a favor do aborto, dizem que estou a matar o meu próprio filho. E não foi o que esta mãe fez? Desde o início os médicos lhe disseram que as probabilidades apontavam para nenhum sobreviver, mesmo assim recusou a interrupção selectiva.

 

O que me custou mais foi no fim da reportagem ouvi-la dizer que faria tudo igual...

 

Eu sou uma assassina porque defendo a IVG , e esta mãe é o quê?

Por Luz às 18:06
Link do post
De Zizas a 17 de Fevereiro de 2008 às 19:31
Luz,
Acho que esta é uma situação delicada demais para se ter assim um ponto de vista tão acutilante, embora seja defensor acérrimo da IVG, não consigo ter essa opinião desta mãe, são pessoas de baixa condição social e (sem ter a certeza), não muito iletradas, e muito católicos, “Pus a vida dos meus filhos na mão de Deus”, além que já houve casos destes em que tiveram um final feliz, não sei se com tantos riscos, mas certamente o pensamento daqueles pais seria "enquanto a vida a esperança" sei que certamente se tivesse optado o contrário poderia ter um fim diferente, mas não o afirmo com certeza, teriam sobrevivido, é um caso de muitos pontos de interrogação...
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Etiquetas

abandono crianças(2)

acupunctura(1)

animais(2)

aniversário; afectos(1)

aniversário; filho(1)

anorexia(1)

bencao(1)

boneca(1)

crenças(1)

desabafos(1)

dimensões(1)

esmeralda(4)

espanha(1)

férias(1)

fernando pessoa(2)

filho(7)

filhos; silêncio(1)

filmes(2)

fitoterapia(1)

fotofobia(1)

hipocrisia(1)

índigo(1)

ivg(2)

livros(2)

mário quintana(1)

natal(2)

poemas(1)

recordações(1)

regresso(1)

revolta(5)

ridículo(2)

saúde(3)

sensibilização(2)

séries(1)

tourada(1)

triste(1)

vida(5)

todas as tags

subscrever feeds